quarta-feira, 25 de maio de 2011

Eu, eu mesma, Theo, Little Big, Big e uma cama pra chamar de cafofo

Esse é a hora da verdade, vou fazer uma revelação bombástica e estarei sujeita a toda sorte de julgamentos, palpites e opiniões científicas. Eu pratico cama compartilhada!


No meu caso a coisa começou no inverno do ano passado, eu estava voltando de licença maternidade, com toda a CULPA que é parte principal do ato de voltar a trabalhar, e ainda amamentava o Theo que, para meu total e completo desespero, não mamava outro leite a não ser o meu! Ah, ele também não pegava mamadeira, nem depois de eu ter feito promessa de raspar a cabeça a lá Carol Dieckman em Laços de Família se ele mamasse NAN na mamadeira LINDA da Nuk. Nada feito, meus cabelos agradecem mas meu sono não!

O Theo só mamava e comia fruta, nessa época eu já estava trabalhando, estava frio pra cacete e eu acordava de 2 em 2 horas pra amamentar, levantava tremendo de frio, tirava ele quentinho do berço e ia amamentá-lo na sala, que é o cômodo mais gelado do meu apartamento. Eu tinha uma noite de merda, pra resumir.

Como o Big não podia amamentar o Theo no meu lugar (o pessoal do senhor Darwin, tem que ver isso aê hein? Tá na hora da evolução da espécie produzir pais com tetas leiteiras, ok?) , e após um acidente vascular amamental (leia-se, eu amamentava com aquela almofada em forma de C manja? Então, a almofada é ótima porque você não precisa fazer força para segurar o bebê durante a mamada, mas o negócio é tão confortável pra uma mãe que não dorme há dias que eu dormi enquanto ele mamava e só acordei com o barulho do Theo caindo no chão. Sim foi horrível, não ele não machucou mas eu fiquei ARRASADA e fui trabalhar no dia seguinte com a culpa sambando na minha cara de fio dental).
Após essa experiência traumática eu comecei a pegar o Theo no berço de madrugada e levar pra minha cama. Aí amamentava ele naipe Pit Stop de fórmula 1 sabe? Ele fazia “ Nhé” , eu já colocava o peito na boca dele ele mamava e dormia quentinho, e fazíamos assim até de manhã.:“ Nhé” , peito a postos, soninho gostoso; “ Nhé”, peito a postos...

Bom, Big começou a viajar muito a trabalho, eu ficava sozinha com o Theo, e a cama era tão grande, e estava tão frio, e ele ainda mamava e as desculpas acabaram. Colocava ele pra dormir toda noite na minha cama e pronto!

E assim ficamos uns bons 4 meses, até que as viagens do Big diminuíram, e o Theo já mamava na mamadeira e chegou a hora de abolir o Pit Stop. Mesmo assim, pra fazer ele dormir eu tenho até hoje que deitar ao lado dele e dar a mamadeira. Aí ele mama, depois me abraça (JU-RO, abraça mesmo, como se eu fosse um ursinho de pelúcia sabe?) e dorme. Aí ele vai pro berço, e de madrugada, quando acorda pedindo a mamadeira volta pra minha cama.

Então eu fazia uma semi cama compartilhada, já que o Theo não dormia a noite inteira na minha cama.

Acontece que umas 2 semanas depois que o Little Big mudou lá pra casa o Big viajou a trabalho, ficou uma semana fora. E toda noite o LB via que o Theo adormecia na minha cama, no quentinho, abraçado comigo. Até que na 3ª noite ele me perguntou: “Mari, posso dormir aí também?” E tinha como falar não? Deitamos os 3 na cama, o Theo adorou! (no começo ele deu uma estressada de ciúmes mas depois passou) Brincamos de cabana, conversamos, assistimos filme e dormimos os 3, juntos, a noite inteira, até o Big voltar.
Hoje em dia a gente deita todo mundo junto na mesma cama e quando os meninos dormem colocamos cada um em seu quarto.

Li muitas críticas sobre a cama compartilhada, mas existem dicas de segurança básicas pra que não aconteça nenhum acidente, como por exemplo não colocar as crianças pra dormir na sua cama se você ou o marido tiverem usado drogas. Oi?
Pra mim, compartilhar a cama é um ato de carinho com os dois! Com o Theo que fica o dia inteiro longe de mim e que, apesar de não mamar mais no peito, tem uma necessidade enorme de contato físico comigo. E com o LB, que está passando por um momento de muitas mudanças na vida dele e que também precisa se sentir acolhido na nossa família. O ato de adormecer comigo o pai e o irmão dá segurança, dá pra ele a sensação de pertencer a esse momento de aconchego, de bagunça, de compartilhar as coisas, seja uma história, um acontecimento, um beijo coletivo, um montinho ou um pedaço de coberta.

Eu acredito que pra criarmos filhos independentes precisamos criá-los seguros do amor que temos por eles. Obriga-los a adormecer longe de mim não é incentivar a independência e sim impedir o exercício do carinho, a demonstração do amor de uma mãe que passa o dia todo fora com o coraçãozinho apertado! Fora o fato de que depois que eles começaram a dormir comigo a culpa nunca mais sambou de fio dental na minha cara! Rá!

10 comentários:

Cin disse...

Olá achei seu blog muito interessante. Fiz um blog tbém recentemente, pois como mãe de um casalzinho lindo sou apaixoanada por essa coisa louca e mágica que é a maternidade. Gostaria de convidá-la para conhecer meu blog o qual irei tratar de diversos assuntos ligados ao universo infantil. Se puder deixar sua opinião será de grande peso pra mim. Bjao!
O end é:http://maenualdeinstrucoes.blogspot.com

Bobby disse...

gata, se eu trabalhasse assim, toda bonitinha, num emprego nine-to-six, nem fodendo que eu iria dormir longe do meu filho.
só durmo longe porque, quando chega a noite, a gente não pode mais nem olhar um pro outro...
apoiadíssima, garra no rapaz!
beijos!
roberta
(a do piscardeolhos)

Fá, Mãe da Ana Luiza e do Gustavo! disse...

Aqui em casa rola cama compartilhada e quarto compartilhado. Explico: Ana Luiza dorme conosco, aliás, voltou a dormir, pq ela tinha ido pro quarto, mas acordava a noite, eu barriguda do Gus achei bem mais prático e gostoso ter a pequena na cama conosco novamente.
Pro Gus, que tem 2 meses, rola quarto compartilhado. Ele dorme no berço de montar do meu lado, mas aposto que quando estiver maior vai pular pra nossa cama... ah, se vai! kkkkkkkkkk

Beijokas

Afrodite disse...

Amiga,
Aqui vai a palavra de uma mãe de três filhos:essa época eles JAMAIS esquecerão!
Joga no lixo o que 'terapeutas e psicólogos' dizem.É maravilhosos dormir com os pimpolhos!
Eu fiz isso com os três e hoje(eles estão com 09,15 e 18 anos) e dorme nos seus quartos!Sem stress!
Curta a infancia do théo de pertinho nessas horas já que vc não tem o privilégio de passar os dias com ele inteiros!Eu deixie de trabalhar por conta do meu caçula e não me arrependo!Foi a melhor decisão que tomei.Mas falo por mim,tem mulher que sequer pensa nisso!
Beijo!

Carolina Frîncu disse...

Meu marido é fã de cama compartilhada e eu tenho pavor. Explico: tenho pavor de virar sobre o filhote e, além disso, tenho o sono leve, portanto, cada vez que ele se enfia debaixo do meu braço ou abraça minha perna - se mexe, o garoto!! - eu acordo e levo umas duas horas prá dormir novamente. Não rola mais, graças a Deus, porque era uma tortura prá mim. Ele dorme no berço, a noite inteira e não tenho saudades. Mas acho muito legal quem faz cama compartilhada pelas mesmas razões que vc. Tb acho que é muita especulação em cima de bobeira. Conheço adultos saudáveis e equilibrados que dormiram com os pais até 5 anos ou mais. O que vale é a gente demonstrar amor da melhor maneira que puder, ajudar a formar um bom caráter e dar as ferramentas certas para que construam seus caminhos. O resto é balela! Bjo.

Hanny Meire disse...

Me bateu uma curiosidade, me desculpa, não precisa responder se não quiser, mas... e quanto tu e o marido querem "namorar" ( entendeu, rs ! ) como fica ?

As "supernannys" da vida dizem que é ruim acostumar os filhos a dormirem sempre na cama com os pais por causa disso e também porque acham que os filhos devem ter independência. Como os seus são pequenos não vejo mal nenhum... mas deve ser ruim pra poder namorar.

BJS !

(Desculpa se fui abusada, não é minha intenção !)

Sol! disse...

Gemte, sumi, agora voltei, e agora me comprometo a responder todos os comentários JU-RO!

Vamo lá:

Cin, fui no seu blog, e vou criar vergonha na cara hj pra linkar ele por aqui (tenho uma lista aqui pra linkar)

Roberta,
Saudade de vc! Li seu blog mas como o wordpress muito me odeia meu comentário não subiu! O Noah tá cada vez mais lindo! Bom, finda a sessão rasgando seda, eu tbm acho q se ficasse o dia inteiro com o Theo não ia rolar cama compartilhada não gata! Mas na atual situação é o que tem pra hj!

Fá, acho super legal vc deixar a Ana Luiza dormir com vc, é atpe uma forma dela se sentir amada mesmo com a chegada do irmãozinho! E daqui a pouco ela enche o saco e vai pro quarto dela, vc vai ver!
E o berço de camping Theo morou séculos no meu quarto tbm

Afrodite. APOIADA! COncordo com tudão! Pseudo especialistas que condenam a caminha de família são mal-amados hahahahaha ( ou nunca tiveram que acordar de madrugada com 4 graus pra amamentar neném, tem essa opção aê tbm né)

Carol,

eu tbm tive medo de rolar em cima do Theo, aí compramos uma cama estúpidamente gde, q hj só fica cheia se vem todo mundo deitar nela hahahaha

Hanny,

sua pergunta é pertinente. no meu caso eu não fico a noite toda com os meninos na cama. Eu transfiro eles pros respectivos quartos depois q eles caem no sono. Aì rola o rala e rola hahahaha

bjossss

Lele disse...

Bem, sabe o que eu acho? Que a gente tem que fazer o que form melhor para a nossa relação familiar naquele momento e sanar um problema (ou vários).
Além disso, nada é pra sempre (TKS GOD) e aí as coisas melhoram, as crianças crescem e tudo se encaixa e/ou volta ao normal.
Adorei seu blog!
Beijos
Lele

carla m. disse...

Caramba, lá na casa da minha mãe sempre rolou cama compartilhada, assim, desse jeito, todo mundo era colocado na sua cama depois de dormir. Claro, que quando ficamos mais grandinhos, não era todo dia, mas de toda forma, é das melhores lembranças que tenho. :)

Maira disse...

Olá ti "descobri! através do MQDisse, gostei do seu post lá e vim conhecer seu blog, gostei mais ainda rsrsr. e já estou seguindo,a gostei especialmente de alguns posts que vc. escreveu sobre o LBIG/a mãe dele; e a forma respeitosa como vc. trata essa questão de ser madrasta....bom qto. a cama compartilhada ou semi eu pratico a 12 anos, calma que eu explico, 1º foi a Helô minha filha mais velha e agora a Mimi que está com 3 anos, e vou ti falar encaro assim como vc. carinho/necessidade e contato físico e quem ti fala "a nunca mais ele sairá da sua cama" não acredite hoje eu brigo pra Helô vir ficar conosco um pouco, ela fala que prefere a cama dela e a Mimi é igualzinho vc. descreveu ela me abraça igual a ursinho e tb. necessita de contato físico comigo, brinco que ela é meu chicletinho. rs.
Bjs. e bom fina de semana.