quarta-feira, 2 de maio de 2012

Essa brincadeira é de menina?

Daí que não é todo mundo que sabe mas, quando eu fiquei grávida achava que era uma menina.


Achava não, eu tinha CER-TE-ZA-B-SO-LU-TA que estava carregando uma ervilha feminina dentro do meu eu. E pra confirmar a minha loucura eu fazia todos os tipos de testes curandeirísticos espalhados por essa internet de meu Deus e só achava que prestavam aqueles em que o resultado era – MENINA.

A minha loucura ensandecida foi tanta que eu convencia todo e qualquer ser humano a minha volta de que ia ter uma filha mulé! E pra ser mãe de menina eu ia ter que começar a me comportar toda trabalhada na phyneza que Deus não me deu, mas que a Glorinha Kalil vende em forma de livro. Já tinha até me preparado pra comprar as roupas do balé e pesquisei aqueles pacotes de manicure mãe & filha, sabem?

O único que não entrou nessa loucura de baby girl foi o Beto. Ele foi o único do contra, que olhou bem pra minha barriga ainda não-barriga e disse: É outro menino. E num é que era mesmo? E ele e o Lucca fizeram comemoração estilo Xou da Xuxa na sala de ultra som (Menino, menino, menino!). Yes, humilhação na sala do ultra som, a gente vê por aqui.

Logo com 12 semanas o Theo já foi mostrando os documentos todos pra mãe dele parar com a palhaçada, e então eu dei adeus aos protetores de berço cor-de-rosa e olá para a Hot Weels; me despedi daquela menininha idealizada (a Nina) e dei olá pro meu filhote real e todo macho que crescia a cada dia.

O Theo nasceu, cresceu e hoje a minha vida é um misto de bolas de futebol, carrinhos, mamadeiras do Corinthians, cuecas do Ben 10 e aulas de Jiu Jitsu (que eu juro, ainda vou dar uma incerta numa quarta-feira a tarde qualquer pra ver aquela criatura fazendo aula de Jiu-jitsu).

Mas nem só de artes marciais e futebol vive a infância do meu filho porque o Theo também adora brincar de... COMIDINHA. Eu acho o máximo ele falar que vai fazer batatinha pra me dar, e fingir que mexe a panelinha de mentira. Nunca, jamais, em hipótese alguma eu repreenderia meu filho por ele querer brincar com algum brinquedo tido como feminino.

Mas tem gente que não pensa como eu...
Nesse final de semana estávamos no berçário do clube, local historicamente freqüentado por filhos e babás. Eu não deixo o Theo sozinho lá porque eu não tenho babá quando tem muita criança porque vira meio um salve-se quem puder e as monitoras não cuidam de ninguém porque estão ocupadas evitando que ninguém perca um olho em alguma brincadeira (menos Mariana, menos). Ontem era um dia que tinha muita criança.

O Theo assistiu um pouco de desenho, jogou bola e depois resolveu brincar na mini-cozinha montada no berçário. Falou que estava fazendo batatinha e bolo de Chicolate. Eu dando as orientações (Ai gente eu sou muito participativa né, quero botar ordem até na brincadeira!): “Isso filho, mexe a panela de batatinha, agora coloca o bolo de chicolate no forno, deixa a mamãe experimentar...” Enfim, a gente tava se divertindo um bocado, ele bancando o gourmet e eu impressionada com a capacidade de brincar de faz-de-conta do meu mestre cuca de 2 anos.

Até que ela apareceu, vamos cahamá-la de Felícia*(os nomes foram trocados para preservar a identidade dos envolvidos). Felícia é a chata do berçário, grita com as crianças menores, não quer dividir os brinquedos, belisca os colegas quando a tia não está vendo. Felícia tem 4 anos e está no berçário quase todos os dias, porque sua mãe faz ginástica e seu pai joga bola, então não sobra muito tempo pra Felícia que, de tanto ficar no berçário assumiu o topo da cadeia alimentar do local.

Felícia olhou bem pro Theo, olhou bem pra mim, respirou fundo, revirou os olinhos e disse:

- Ele é menino. Ele não pode brincar de comidinha.

Daí eu pensei: Cadê a mãe dessa menina minha gente? Que machismo é esse? Preciso providenciar um exemplar de “O segundo Sexo” pra dar de presente pra ela. É um absurdo criar meninas já com esse machismo desde bem pequenas, pra elas crescerem achando que lugar de homem é no escritório e lugar de mulher é na cozinha.

E enquanto eu pensava em levantar-me e perguntar pra tia do berçário quem era a mãe da Felícia, o Theo olhou bem pra cara dela e mandou:

- Eu posso brincar sim. O meu pai faz comida na minha casa.

E voltou a mexer a batata imaginária e a me oferecer pedaços fictícios de bolo como se Felícia fosse invisível.

Que Bevauir que nada minha gente, o negócio é dar o exemplo mesmo, pra criar Meninos e PRINCIPALMENTE meninas cada vez menos machistas!

E você, mãe de menino ou de menina? Já passou por alguma situação parecida? Como lida com as diferenças entre os gêneros? Deixaria sua filha brincar de carrinho e seu filho de boneca? Abre seu coração!


23 comentários:

Girassol disse...

Ai que coisinha + fofa a reação do seu filhote! Meu sobrinho de 2 aninhos tbm ama "cozinhar", ele está sempre envolto de muitas panelas e carrinhos rs (as panelas ganham)
O meu de 09 anos adora me ajudar na cozinha, diz ser meu ajudante, quer saber como se faz cada prato e ainda lava seu prato e talher após o jantar.
Concordo plenamente que temos de dar o exemplo, s existem homens machistas que não movem uma palha em casa é por causa das mamães que criam os meninos como verdadeiros reizinhos, não ensinam nem a arrumar a própria cama.

.Fabiana disse...

Meu filho quando tinha a idade do Theo,também amava brincar de fazer comidinha.
Ele tinha uma mochila de rodinha de cebolinha,enormeeeee,cheia de panelinhas,xícaras,colherzinhas e todas os inhas que se pode imaginar.
A vassoura da xuxa dele,ficava pendurada na minha lavanderia,bem ao lado da minha.
E ele continua sendo HOMEM.Eu e meu marido,nunca podamos isso nele.ele ia brincar na casa das minhas sobrinhas e era o pai das bonecas.
E elas quando vinham aqui em casa ajudavam ele a consertar as coisas quebradas aqui.
Ele tinha uma maleta de ferramentas também,com martelo,chave de fenda e tals.

E vivem todos juntos e felizes agora.

Bjs amei o post

Diana disse...

Mari, adorei que você voltou a postar, estava com saudades! O seu blog é um dos melhores que eu leio! não abandona não! beijos

Flávia A. disse...

Gente,morri de orgulho e o filho nem é meu! hauihaiuhaha,que delícia ler isso,que esperança que dá! E sim,só prova que exemplo é tudo,mais do que qualquer discurso!

Parabéns,viu!

Bjo

Neli Alves disse...

Aqui em casa vai nascer um menino, até que enfim, que aqui só dá meninas. E o meu neto vai, sim, brincar com meninas. As primas, já estão esperando por ele, ansiosamente. E o seu filho tornou-se meu ídolo infantil! Que resposta bem dada!!! kkk
Bjks. NELI - Iaiá Arteira

Alice disse...

Olha, Nina agora anda numa fase bem mulherzinha, achando que nasceu para ser bailarina e tals, mas fora esse episódio ela sempre foi a mais moleca e nunca tive essa de brincadeira de menino ou menina. Como também cago baldes quando passo com ela na rua e alguém fala "nossa, que garotão lindo". Na boa? Nem corrijo, pra mim é tudo farinha do mesmo saco, minimizo totalmente qq diferença. E, claro, a resposta do Theo foi A melhor. Bjks

Syl - Minha Casinha Feliz disse...

Adorei a resposta do Theo! A minha princesa sabe empunhar uma espada muito bem e luta como um ninja usando máscara de batman ou darth vader ou um chapéu de cowboy!

Beijos
Syl
http://minhacasinhafeliz.blogspot.com.br/

Pati_Bella disse...

Adorei!! Meu filho também brinca de fazer comidinhas, além disso alimenta e depois faz o boneco dele dormir :D Eu acho até maldade separar as brincadeiras "de menino" e "de menina"... Bjos :*

Lilian disse...

Eu tenho duas meninas molecas. Já ouvi um palhaço dizer que minha filha "ia ser sapatão" porque gosta de brincar com os meninos, gosta de correr, andar de bicicleta, viver perigosamente, sabe? Eu fingi que não ouvi porque, né? não vale a pena. Eu simplesmente adoro qdo minhas duas meninas molecas chegam suadas, descabeladas, com as bochechas rosadas, sinal de que se divertem muito! Não tem essa de brincadeira de menino e de menina! São crianças e têm que brincar de tudo! E a resposta do seu filho é digna de aplausos! beijo

BLOG DA BIA disse...

Muito legal mesmo!
Quando forem a um restaurante, mostre-lhe que há homens que trabalham na cozinha.
Meu bebê tem pouco mais de 1 ano, mas faço muita questão de cuidarmos de uma bonequinha, a qual ele chama de "nenêêê", o que já é bem legal!

Bobby disse...

Theo e meu xuxu, amo desde outros carnavais.
(mais precisamente, desde que ele disse NAO pra mae doida dele que exclamava "filho, vc gosta dessa cadeirinha, ne filho?"
Rapaz decidido e cozinheiro. Quem nao vai querer?
Beijos!
Ro
Piscar

Fá, Mãe da Ana Luiza e do Gustavo! disse...

Só por Deus, mesmo! Ana Luiza brinca de carrinho, luta e finge que é Ben 10. Gustavo vive brincando na cozinha dela. E eu? Não ligo a mínima, porque criança tem que brincar mesmo e não tem essa de "essa brincadeira é de menino/a".

Beijos

Coisas de mãe disse...

Nossa, teu filho é o máximo!

Parabens!

Não sei se passei por alguma situaçnao assim, sei que vivo tentando explicar para Luiza (3) que ela pode gostar de todas as cores, não precisa gostar só de rosa por é menina e que os meninos tambem podem gostar da cor que quiserem, entre elas o rosa.

beijos


Pati

Renata disse...

Excelente site! Só a título de curiosidade há um agregador de conteúdos chamado Agrega Pais, que é voltado para família, uma ótima forma de divulgar seu site para este público bem específico.
http://agregapais.com.br/

Isabela Kanupp (Kira!) disse...

Em primeiro lugar: pqp que saudades daqui, que saudades de você mulher!

Segundo: Sabe o que é pior? Pior quando isso acontece na " familia" esse tipo de preconceito ridículo! Pois é, já "proibiram" uma certa criança da família de brincar com as panelinhas da Beatriz. UÓ!

O negócio é ignorar!

Beijos
www.parabeatriz.com

Diane Lorde disse...

Nossos filhos tem a mesma idade e vou dizer:
Meu japakid adora brincar de faz de conta com as panelas aqui de casa, brinca se diverte e tenho certeza que nem por isto deixa de ser Homenzinho com "H". Viva nossos filhos modernos, independentes e chefs de cozinha aos quase 3 anos.rsrs

Adriana Engelmeyer Bouzan Lopes disse...

Adorei a resposta dele.....nossa como sofro com essa historia de rosa de menina e azul de menino.....sempre falo....licor nao tem dono...!!
Estou rindo ate agora.......kkkkkk...bjus

Susan disse...

Adorei!

Davi coloca seus bichinhos de pelúcia pra dormir, ajuda a varrer a casa com a sua mini vassoura...
Acredito que isso fará ele um bom pai e um marido prestativo (norinha vai me agradecer por isso).

Beijo.

http://piticodegente.blogspot.com.br

§assa© disse...

Oi Sol...
Tenho uma sobrinha que tem esse "maldito" costume de não deixar os meninos brincarem com os brinquedos dela! GRRR q raiva tenho disso...meu irmão disse q foi a forma q ele encontrou para não deixar mais os coleguinhas de escola quebrarem os brinquedos...mas ele não pensou nas consequencias...triste, mto triste...


Ahh olha só, tá rolando um sorteio no meu blog, dá uma passadinha, quem sabe te agrade!

http://morecoas.blogspot.com.br/2012/05/voce-quer-ganhar-bolsa-carteira-basic.html

Beijinhos!!

Lele disse...

Eu tenho uma menina de 4 anos e um menino de 2. Eles brincam muito juntos e trocam brinquedos. Otavio passou 2 semanas grudado a 2 Barbies peladas.... Escola, shopping, clube, casa dos avos e etc... Algumas pessoas olhavam torto, outras ate verbalizavam mas, quer saber? Acho que ele ja gosta de mulher vide q as bonecas estavam peladas o tempo todo! Ho ho ho

Bjs

Natália das Luzes disse...

mas é assim mesmo, muitas de nós nascemos, crescemos, e compartilhamos ideias machistas sem nem perceber. por exemplo, esse negocio de ser sempre o homem que compra as alianças de compromisso é o que? machismo ou não? tem coisas que são bem brandas, e que de fato, não matam ninguém, não é como bater estuprar, mas é tão machista quanto, e a gente nem percebe - e as vezes a gente tá perpetuando também e não percebe! boa sorte com os seus filhos! que eles não sejam machistas! :D beijinho!

Rafael Noris disse...

Bem, eu nunca comprei bonecas pro Miguel, mas ele brinca com pelúcias e de fazer comidinha, coisas tipicamente relacionadas ao sexo feminino. Eu entro na brincadeira também :D

Já brinquei muito de Barbie com minha prima quando eu era pitiquinho :)

E que engraçado esse lance seu de achar que estava grávida de menina, aqui em casa foi a mesma coisa, todo mundo fazendo essas doidices e simpatias achando que seria menina e o único chato era eu, que acertei o sexo dele.

Bjo!

Unknown disse...

Meu filho de 7 anos tem traços de hiperatividade e déficit de atenção, como estava muito desatento e agressivo na escola, batendo todos os coleguinhas, resolvemos levá-lo à psicóloga. Depois de um mês de sessões, semana passada fui conversar com ela, sabe o que ela me disse? Que "talvez" agressividade dele com os colegas se deve ao modo como ele fala e anda ( segundo ela , de forma afeminada, as outras crianças devem ris disso e consequentemente ele os agride) e recomendou -me deixá-lo brincar só com brinquedos de meninos e com meninos. Pode??? Nem preciso dizer que vamos mudar de psicóloga. Detalhe: ela nem sequer deu-se ao trabalho de ir à escola, e até então nunca notamos nada de anormal no jeito do meu filho falar e andar, ele fala e anda como qualquer criança de 7 anos. Da minha parte sempre o incentivei a brincar com meninos e meninas, inclusive ele brinca de casinha com a vizinha e nunca vi nada demais nisso.