sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Meus infalíveis Planos de Fuga


Todo mundo tinha um plano de fuga na infância. E ele necessariamente envolvia uma mochila cheia de passa-tempo, todinho e pipoca doce; também envolvia pular um muro, seguir pela pracinha sem ser vista pelo vendedor de churros que conhecia a sua tia, atravessar 4 quarteirões e ir direto pra casa da sua vó, onde finalmente viveria feliz pelo resto de sua jovem vida, almoçando bala de goma e jantando sucrilhos para todo o sempre amém!

Os planos de fuga perpetuam-se durante a vida, e na adolescência envolvem também alguns fatores chaves (não necessariamente nesta mesma ordem): namoradinho cabaço, camisinha estourada, menstruação atrasada, semanas juntando o dinheiro do busão e do lanche pra comprar uma passagem só de ida pra Itapororoca na Paraíba, onde obviamente só existiriam mulheres feias, e seria fácil fazer dinheiro com um show de strep tease usando as coreografias da Madonna ensaiadas durante anos com afinco e dedicação. Isso até a barriga não ficar muito grande, quando então teria uma grana suficiente pra comprar uma casinha de pau a pique e montar um buteco, que após anos de trabalho se tornaria um resort mega lucrativo. Lucrativo o suficiente pra bancar a produção de um filme com a história da minha vida. Carolina Dieckman (com o cabelo castanho) = Eu na fase I, e Suzana Vieira (com legítimo sotaque itapororoquense) = Eu na fase II. Senhora do Destino Rules!

Por incrível que pareça, até hoje, já na fase adulta, possuo planos infalíveis de fuga, envolvendo, obviamente, alguns fatores essenciais, a saber: 2 meses de geladeira no trabalho, uma súbita mudança de área pra continuar fazendo porra nenhuma, aquisição e treinamento de utilização de uma 9mm, granadas, 3 morteiros, um golf 1.8 pra transportar tudo. Um assalto (dessa vez bem sucedido) aos cofres do Banco Central, protagonizado por mim e Big no estilo Bonie e Clyde. Com os frutos do nosso bem sucedido e cinematográfico assalto a gente ia finalmente montar nosso Quiosque na praia, vender água de côco, caipirinha e vodka falsificada pros gringo vomitar as 15h00 em plena terça feira. Iríamos ter filinhos caiçaras e continuar enchendo a cara com o lucro do quiosque (enquanto os proventos de nossa aquisição junto ao Banco Central renderiam em fundos de investimento em nome de laranjas) e tendo como maior preocupação da vida não esquecer de passar sundow no pé e nas orelha de nossos rebentos com cabelinho ruim e descorado de maresia!

18 comentários:

Bell Bastos disse...

idsfhsiuhsif

Adoreeeei.

Já tive os planos de fuga na infância, que envolviam uma mochila repleta de passa-tempo recheado... :9

Ainda não tive planos de fuga na adolescência... guihzdfiuhfguid

Mas adorei esse do assalto ao Banco Central.

Vê Guimarães disse...

Perfeito!!!!!!
Na infância eu nunca quis fugir, mas eu sempre penso hj, em de repente levar uma vida com identidade secreta kkkkk!
Parabéns ploe blog, sempre enriquecedor.

leve&solto disse...

Vc é ótima!!!

Pequenos planos de fuga na infância não foram suficientemente fascinantes para que eu pudesse lembrá-los... Nem na adolescência... Mas, já adulta e mãe de dois filhos, não só planejei como fuiiiii!!! rs Acho que dá um post (ou vários) com muitos detalhes...

bj

Pucci disse...

hahaha
eu esqueço de passar protetor solar nas minhas orelhas e pé, que dirá dos rebentos haiuhaiuah


bjos

instantes e momentos disse...

muito bom teu post. Parabens, muito bem feito, inteligente, bem humorado. Gostei daqui.
Tenha um belo final de semana.
maurizio

Fernanda Pereira disse...

Ai meus planos de fuga...rs
Eram sempre infalíveis (pelo menos eui achava) mas acbavam me achando. O ápice foi quando uma vez eu fugi e teve até bombeiro atrás de mim...eu tava dormindo dentro do ármario no final das contas...ahahah

Na adolescencia eu tbem quis fugir, e acabei fugindo, deu certo por 8 meses, depois perdeu a graça...rs

Mas hj...ah, eu qria fugir com um monte de passatempo, coca cola (que nunca perdesse o gelo), e a grana do Banco Central, claro que tem uma certa comapnhia masculina que poderia ir junto...mas deixa pra lá...rs

Beijos

Samuel Bryan disse...

eu me imaginava numa eterna fuga sabia?
vivendo em postos de gasolina nas BR, pegando carona com caminhoneiros todos os dias
ate eu chegar no nordeste e abrir um cabaré
ia ser bacana eu acho
so faltaria uma historia de amor tragica, linda e sofrida com praia nos fundos
hahahahaha
=*

Lívia disse...

Cara, nuuuunca tive plano de fuga quando garota. Eu o tenho agora! Quero fugir pro meio do mato, levando só roupas, livros, comida e artigos de perfumaria pq futum no mato ng merece! Mas não levaria nada de celular, nem de pc, nem de porra nenhuma! Um dia, eu consigo! rs.

Beijos!

Denyze Moreira disse...

Sim, explosivos tb fazem parte do meu plano de fuga atual. Explosivos e Rodrigo Santoro de terno.

coizinha disse...

rapaz...eu sou paraibana.
e n faço nada do que vc comentou...
será que tenho algum tipo de problema cronico de quem acha que mora na capital?!?!?
han?!?
duvidas duvidas duvidas

Carol disse...

Meu Deus... eu quero fugir tb, mas meu plano de fuga é virar mulher rendeira enquanto o namorado vira pescador... rsrsrsrs

Beijo

Pucci disse...

Atualiza ai, cansei de entrar aqui e ver o mesmo texto ...

:P

Marcia Paula disse...

Ter uma arma é meu grande sonho de consumo,desde que seja ilegal,é claro.Será falta de algum acessório?O que você acha?Beijos.

divarosachoque disse...

hauahauahauahuahauahau! A fuga da infância evolui, ah, se evolui! Tenho planos de fuga que envolvem um emprego estável e suficientemente bom pra pagar parcelas de um apartamento perto de qualquer estação de metrô de Sp - pq quem mora no ABC tem uma inveja desgraçada dos paulistanos q passeiam no metrô, ainda q ele seja o pior metrô do mundo.
Mas acho q meu plano de fuga será adiando por pelo menos uns 4 anos, tempo de estudar, crescer, ficar fortinha e poder ter uma arma pra me defender. Hohohoho

Bjus

Anna O.
Divã Rosa Choque

Larissa Santiago disse...

pôoorraa, meus planos nao eram assim tão bons nãoo!
(ironia)
só queria ir prum ligar mais light!


heheeh

Cruela disse...

eu fugi e continuo fugida até hoje. acho que quero é voltar pra casa.

beijos

mutante disse...

hahaha adorei! só mudaría uma coisa, não ficaría em quiosque nenhum aturando bêbedo! rs ía viajar pelo mundo...

Jojo =] disse...

Pára tudoooo! Minha vó morava na cidade ao lado! Eram 36 km!! AH!! Como eu queria um daqueles buggs que o Silvio Santos entregava pras crianças! Aí eu poderia chegar à minha vó, com minhas passatempos... aaaa, saudade! Pena que minha adolescência tenha sido tão distante dos pais que nem graça de fugir teria... Enfim! Adoreeeei o texto! =D